Solução de molhagem

CONDUTIVIDADE

Capacidade de conduzir eletricidade no meio aquoso, através do fluxo de íons presente na solução de fonte. Consultar melhor valor com fornecedor da solução de fonte.

Abaixo do especificado

  • Acumulo de tinta no rolos do sistema de molhagem
  • Baixa constância e umectação na aplicação da solução de molhagem na chapa
  • Instabilidade no equilíbrio solução de molhagem/tinta
  • Start up deficiente
  • Velatura ou seco
  • Maior proliferação de fungos e bactérias no reservatório de molhagem
  • Maior formação de espuma na solução de molhagem
  • Menor preservação na conservação da blanqueta
  • Maior acumulo de pó de papel na blanqueta

 

Acima do especificado

  • Emulsionamento (A tinta deve absorver cerca de 15 a 20% de solução de molhagem, acima disso caracteriza emulsionamento instável)
  • Instabilidade no equilíbrio solução de molhagem/tinta
  • Tendência de ocasionar efeito de chapa “cega”
  • Maior acumulo de tinta na blanqueta
  • Sangramento
  • Odor nas tintas
  • Voagem
  • Excesso de ganho de ponto
  • Trapping deficiente

 

pH

Nível de acidez e alcalinidade de uma solução. Melhor valor entre 4,5 a 5,5 sendo levemente ácida, onde maioria das soluções de fonte apresentam ótimo efeito tampão.

Abaixo do especificado

  • Desgaste prematuro das partes metálicas da máquina e chapa
  • Secagem lenta da tinta
  • Maior oxidação nas tintas metálicas
  • Emulsionamento
  • Acumulo de tinta nos rolos do sistema de molhagem
  • Baixa constância e umectação na aplicação da solução de molhagem na chapa
  • Velatura ou seco

 

Acima do especificado

  • Baixa constância e umectação na aplicação da solução de molhagem na chapa
  • Possível alteração de cor em algumas tintas
  • Odor nas tintas
  • Emulsionamento
  • Sangramento
  • Maior tendência ao efeito milking
  • Velatura

 

ÁLCOOL

Ocasiona a quebra na tensão superficial e eleva a viscosidade da água, porém quanto menos álcool usar melhor, em alguns casos é possível a eliminação total ou redução da dosagem com o uso de solução de fonte adequada.

Acima do especificado

  • Secagem lenta da tinta
  • Alteração de cor em algumas tintas
  • Vitrificação dos rolos e blanqueta
  • Desgaste da camada sensível da chapa
  • Maior condensação nas mangueiras da tubulação
  • Maior tendência ao efeito fantasma químico
  • Maior acumulo de pó de papel

 

Abaixo do especificado (Tem que haver uma eliminação ou redução com critérios técnicos)

  • Baixa constância e umectação na aplicação da solução de molhagem na chapa
  • Maior tendência ao efeito fantasma mecânico
  • Maior formação de espuma
  • Maior proliferação de fungos e bactérias no sistema de molhagem
  • Menor refrigeração da rolaria
  • Velatura ou seco

 

DUREZA

Corresponde a quantidade de sais de magnésio e cálcio na água pura, sendo o recomendado de 8dH a 12dH. Ideal é utilizar processo de Osmose Reverse para a dosagem correta dos adequados saís em suas quantidades adequadas.

Acima do especificado

  • Maior calcificação da rolaria
  • Emulsionamento
  • Tendência de ocasionar efeito de chapa “cega”
  • Maior acumulo de pó no sistema de molhagem
  • Sangramento
  •  Entupimento da tubulação no sistema de lavagem (Utilizar água desmineralizada para limpeza de rolaria e blanqueta)

 

Abaixo do especificado

  • Emulsionamento
  • Retardamento de secagem da tinta
  • Acumulo de tinta nos rolos do sistema de molhagem

 

TEMPERATURA

Referência de 8 a 12˚C; levar em consideração distância para a máquina impressora.

Acima do especificado

  • Baixa constância e umectação na aplicação da solução de molhagem na chapa
  • Velatura ou seco
  • Emulsionamento

 

Abaixo do especificado

  • Condensação na tubulação no sistema de molhagem
  • Emulsionamento